Circo Mínimo
news menu leftnews menu right
Quixote
 

A Cavalaria Andante pelas Ruas dos Centros Urbanos.


O roteiro do espetáculo está apoiado em dois pilares fundamentais: de um lado, a estrutura dos palhaços clássicos, com suas rotinas cômicas inseridas no contexto dos personagens, e do outro lado, a fidelidade a textos originais da obra de Cervantes, no que é possível ser fiel, a partir de tradução reconhecida - o espetáculo foi todo baseado na tradução de Eugênio Amado.


Um Quixote insano que precisa de um Sancho para manter-se conectado de alguma maneira ao mundo real, e um Sancho limitado ao concreto, para quem é imprescindível a janela para o onírico, oferecido por seu Quixote.


A ‘desculpa’ para nossas trama, é uma promessa: assim que o mundo for conquistado, as donzelas libertadas, o mal desfeito e as injustiças aplacadas, nosso Sancho ganhará uma ilha de presente, para nela viver tranquilo o resto de seus dias.


Se o público tiver sorte, esse dia nunca chegará...


Mesma História, Novo Olhar


Contexto das Intervenções de Rua
Comunicação direta e através de signos de reconhecimento imediato é nosso primeiro componente. Se vamos para a Rua, que ela nos receba e nos entenda como parte de sua geografia.
Quem são então, nossos Quixotes e Sanchos urbanos?


A resposta não ajuda muito na escolha de nossos heróis, mas acreditamos que os ideais de cavalaria existam em cada de um nós. Senão ativamente, guardados em algum lugar de nossas almas endurecidas pelo dia a dia das grandes cidades.


A nossa eleição, então, apela não para verdades absolutas, mas sim para verossimilhanças poéticas.


Dos infinitos personagens urbanos, sacamos dois com potenciais inesgotáveis:

O Gari e O Morador de Rua.
Longe de buscar soluções para problemas sociais, apontamos para as possibilidades dramáticas e de conflito entre o espírito livre de um Quixote mal ajambrado, representado pelo nosso ‘cidadão em situação de risco’, e um Sancho Pança enquadrado nas rígidas normas de conduta social, aqui encarnado pelo paciente varredor de ruas.


Razão e Instinto materializados através de figuras que a princípio poderiam passar despercebidas numa grande cidade, mas que são tratadas com todo carinho, de forma a atualizarem o que de mais poético existe na obra de Miguel de Cervantes.

title Filter     Exibir # 
# Título do Artigo
 


ZOL DESIGN - XHTML and CSS.